Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Felinos’ Category

meus gatos

 

Se vocês lembram, faz mais ou menos um ano que adotei essas duas lindezas da foto. O Charlie Chaplin e a Lolla. E é óbvio que eu vou levar os dois na minha mala comigo quando finalmente embarcar para os Estados Unidos!

Fiquei muito feliz quando descobri que poderia levar os dois peludos junto comigo na cabine do avião. Geralmente animais vão juntos com a mala, mas há algumas companhias aéreas que permitem que viajem junto com os donos dependendo do tamanho e peso. Desde então ando pesquisando como fazer isso, pois imaginei que não era simplesmente chegar com eles na caixinha no dia do voo. Tenho encontrado que é mais simples que parece!

Primeiro Passo: Verificar quais são as exigências para entrada de animais domésticos no país de destino.

Cada país tem exigências específicas para a entrada de animais domésticos. É bom olhar isso com antecedência para não ser pego de surpresa! Recomenda-se que vá até a página oficial do órgão responsável pela entrada de animais no país de destino e verifique quais são as condições e critérios para entrada. Nos Estados Unidos, o órgão é a CDC, Centers for Disease Control and Prevention.

Dando uma olhada lá, percebi que eles são muito tranquilos com relação a entrada de gatos no país e não exigem nada, apenas que o animal seja saudável. Há, porém, uma ressalva, como cada estado tem suas próprias leis, é bom verificar quais são para não chegar e ser barrado, caso façam alguma exigência.

Há também nesses links um resumo das exigências dependendo do país de acordo com site do Ministério de Agricultura Brasileiro: Estados Unidos, União Européia e MercoSul. Lembrando que é sempre bom consultar o órgão oficial do país também, pois podem haver mudanças.

Segundo Passo: Providencie o atendimento das exigências sanitárias e junte a documentação necessária.

Esse passo vai variar de acordo com o país de destino. Note que, dependendo do país, deve-se planejar a viagem com bastante antecedência para possibilitar a realização dos procedimentos (exames, tratamentos, vacinações, etc) requeridos para permitir a entrada do seu companheiro de quatro patas.

Uma carteira de vacinação com a antirrábica será exigida na maioria dos países. Não esqueça de que a vacina antirrábica precisa estar em dia e válida na data de entrada no país, precisando ser aplicada entre 1 mês e 1 ano antes do embarque. As informações da vacina precisam estar na carteira de vacinação, geralmente em forma de adesivo com o número do lote da vacina, laboratório… Essas campanhas de vacinação pública não valem, porque em geral não te entregam esse tipo de documentação. Você pode, como alternativa, procurar clínicas populares.

Preencha o Requerimento para Fiscalização de Animais de Companhia.

Terceiro Passo: Compre as passagens e agende a sua viagem.

A essa altura você já poderá comprar a sua passagem e marcar a data da viagem. Se seu animal for pequeno e você quiser levá-lo com você na cabine, irá precisar fazer uma pesquisa específica em cada companhia aérea para descobrir se eles permitem. Pesquisei algumas companhias, mas lembre de verificar as informações no site oficial para ver se houve mudanças. Aqui vai a lista:

Em geral é cobrada uma taxa para o embarque do animal. Varia em torno de $75 a $200 dólares por trecho, por animal. Todas as companhias tem especificações de tamanho da caixa de transporte, que em geral pode ser rígida ou macia. Fique atento também ao peso total (animal + transporte) limite permitido, que varia entre 7kg e 10kg. Lembre-se que as companhias todas tem um número máximo de animais permitidos por voo, então não deixe para comprar sua passagem de última hora.

Quarto Passo: Agende a entrevista para obter o Certificado Veterinário Internacional.

São exigidos um desses dois documentos: o CVI (Certificado Veterinário Internacional) ou o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos. Ambos são expedidos pelo Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro). Clique aqui para verificar quais os países que aceitam o passaporte, são apenas alguns. Para os outros, precisa do CVI.

A principal diferença entre esses dois documentos é que o Passaporte pode ser usado para várias viagens durante toda a vida do animal, enquanto o CVI deve ser emitido a cada viagem que o animal for realizar. Com o Passaporte as informações sanitárias são apenas legalizadas (validadas) pelo FFA na ocasião da viagem.

Consulte a Divisâo de Defesa Agropecuária (DDA) da Superintendência Federal de Agricultura (SFA) do seu estado para marcar a entrevista para emitirem o CVI.

Fique atento! O CVI tem validade entre 5 e 10 dias, desde sua emissão até a entrada do animal no país de destino, dependendo de qual for. (O prazo para os países do Mercosul é de 60 dias.) Logo você terá que marcar essa entrevista no máximo 10 dias antes de embarcar, mas o ideal seria entre 5 e 2 dias, para dar tempo de regularizar quaisquer imprevistos.

Quinto Passo: Leve seu gato / cachorro ao veterinário.

Até 10 dias antes da sua entrevista na SFA, leve seu bicho para uma consulta com um médico veterinário registrado no CRMV-UF. O veterinário irá atestar que seu gato está clinicamente saudável, sem evidências de parasitose e que está apto para viajar. Em alguns casos, considerando a necessidade imposta por alguns países, será preciso levar o animal no momento de solicitar o CVI, mas em geral, só essa ida ao veterinário é necessária.

Quais são as informações que este atestado deve conter? É fundamental atender à Resolução 1023 de 27 de fevereiro de 2013 do Conselho Federal de Medicina Veterinária que dispõe: “O atestado sanitário deverá conter, no mínimo: I – identificação do proprietário: nome, CPF ou CNPJ e endereço completo; II – nome, espécie, raça, sexo; III – apresentação da resenha para equideos e pelagem para as demais espécies; IV – idade real ou presumida; V – informação sobre o estado de saúde do animal; VI – declaração de que foram atendidas as medidas sanitárias definidas pelo serviço veterinário oficial e pelos órgãos de saúde pública; VII – informações sobre imunizações; VIII – identificação do médico veterinário: carimbo (legível) com o nome completo, número de inscrição no CRMV e assinatura; IX – data e o local.” Além disso, lembre de pedir que ele inclua qualquer outra exigência do país de destino.

Sexto Passo: Boa viagem.

Com o transporte adequado, animal devidamente limpo e aparado e todos os documentos em mãos, agora só lhe resta embarcar! Bon voyage!

Anúncios

Read Full Post »

Estava me sentindo solitária, então arrumei dois roommates! A Lolla (mesclada) chegou na sexta. É super tranquila e dorminhoca. O Charlie chegou sábado e é atentado! Ele vive implicando com ela e ela bate nele. Mas nesses poucos dias já senti que estão se acostumando um com o outro. Agora tenho que correr para castrar, antes que surja bebezinhos!

Read Full Post »