Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Enfim Sozinha – Estados Unidos’ Category

Hoje fazem 21 dias que eu e o Plínio chegamos para a vida na América. Muita correria nesse período, muita adaptação e agora que estamos começando a nos estabilizar.

Eu deveria começar pela viagem de vinda, mas como ela foi tão estressante e conturbada, vou fazer um post só pra contar os detalhes.

De início, tínhamos basicamente 3 desafios para cumprirmos até o final de outubro: nos livrarmos da roommate maluca da minha irmã, comprar um carro e eu arrumar um emprego que me pagasse pelo menos 2mil dólares por mês. Posso dizer que cumprimos dois e um está para acontecer.

No último post eu contei por alto que a minha irmã arrumou uma pessoa desequilibrada para dividir a casa com ela. Mal sabia eu que a situação era bem pior; ela não é desequilibrada, é golpista e manipuladora.

Sem estar com as contas em dia e já tendo sido convidada a se retirar, ela mesmo assim avisou à minha irmã que receberia uma tia por uns dias. Acabou que a “tia” na verdade era uma amiga que ela deslocou da Califórnia com o pretexto de ter um emprego pra ela aqui.

Aos poucos descubro que ela na verdade pretendia usar essa amiga como escora, para que elas fossem morar juntas e a outra arcasse com as despesas e não ela. A senhora, que é muito simpática e honesta, logo notou o golpe, brigou com “a amiga” e a abandonou. Semana passada ela foi embora. Mas a golpista ainda permaneceu.

O acordado entre a vigarista e a minha irmã foi que ela teria 30 dias pra sair, a contar do dia 23 de setembro e minha irmã perdoaria a dívida de aluguel. Ela deu uma de malandra e só saiu no Dia das Bruxas. Coincidência? I think not!

Algumas centenas de dólares depois (juro que tentei economizar, mas eu gosto de roupa de cama de qualidade!)  estamos devidamente instalados no nosso novo quarto, liberando assim o quarto da minha irmã.

Esse post está ficando longo. No próximo post falo sobre como consegui emprego, tive que desistir dele e arrumei outro. Tudo isso em menos de duas semanas!

 

 

Read Full Post »

Primeiramente:

Ahhhhhh! Até que enfim!

Segundamente:

Senta que lá vem história!

Recentemente a roommate da minha irmã precisou se mudar por conta do trabalho. Minha irmã arrumou outra roommate. A nova roommate não obedece as regras, pega a comida dela, deixa as calcinhas molhadas no banheiro e não tinha dinheiro para cobrir o primeiro cheque de aluguel. Conclusão, minha irmã pediu para ela procurar outro lugar para morar.

Em tom de brincadeira, minha irmã me mandou uma mensagem perguntando se eu não queria ser a nova roommate dela. Rimos. Eu disse que iria perguntar ao Plínio o que ele achava dessa ideia, já imaginando que a resposta seria: vamos ver. Mas não, me enganei! Ele achou a ideia ótima. Principalmente pelo fato de estar de olho no curso da Kaplan preparatório para o Step 1, em Nova Iorque. Três dias depois já estávamos com nossas passagens compradas!

Como o curso começa dia 12 de outubro, precisamos organizar tudo para chegarmos antes. Conseguimos comprar passagens mais em conta para o dia 10. Como estamos indo com visto de turista, voltaremos antes de 6 meses, final de fevereiro. O plano é voltarmos para o Brasil para o Plínio fazer o Step 1 e para nos casarmos e depois retornarmos aos Estados Unidos com visto de estudante para ele fazer o externship.

Já anunciei todos meus móveis. Vendi tudo praticamente na mesma hora! Durante essa semana as pessoas virão buscar as coisas. Uma amiga vai ficar no meu apartamento até o fim do contrato.

Já estamos vendo uma maneira de enviarmos nosso dinheiro daqui pra lá sem precisar de terceiros. Ainda estamos no processo.

Não sei se vou conseguir levar meu gatos. Na casa da minha irmã não pode animais. Ainda estou na esperança, mas uma amiga já se ofereceu para cuidar deles na minha ausência.

Estou muito ansiosa desde a decisão. Ando com dor de cabeça e muito sono. Minhas mãos estão descamando toda por conta do stress. Apesar disso tudo, estou feliz pra cacete que finalmente vamos inicias uma nova etapa. Ainda mais porque vai dar tempo de aproveitar o Halloween!

 

Read Full Post »

O Plínio encontrou um blog, que é relativamente novo, onde uma brasileira que fez residência médica nos Estados Unidos responde dúvidas e dá dicas. Vale a pena conferir o Como Ser Médico nos Estados Unidos.

Por mais que eu goste de ler essas coisas, e já li o blog inteiro, as vezes acho ruim porque acabo ficando ansiosa. Descobrir informações novas sobre tipos de visto é ótimo. Mas ouvir coisas mais duras, tipo o conselho dela de escolher o que é mais importante pra você: fazer residência na especialidade que você quer ou morar nos Estados Unidos; isso é difícil. Não que as duas coisas não possam ocorrer, mas talvez sua especialidade é mais concorrida e consequentemente mais difícil de conseguir uma vaga.

Será que muito informação não prejudica um pouco?

Read Full Post »

Miami_.eci_.com_

Exército

Vocês lembram que mês passado o Plínio recebeu uma carta indesejada com uma convocação do exército brasileiro, né? Pois bem, depois de falar com o advogado, que entrou com outro recurso e nos garantiu que a sentença só sairia daqui há dois anos, ficamos mais tranquilos. Porém sinto que essa história ainda vai dá pano pra manga…

Casamento

Para que eu tenha direito ao visto de acompanhante de estudante, eu e o Plínio precisamos nos casar. Obviamente que não será um casamento com pompa e circunstância. Tá mais para assinar papéis no cartório e almoçar com amigos e parentes. Não que nós não queremos uma festa de casamento, mas no momento realmente não é viável. Mas quero futuramente fazer uma sessão de fotos com vestido de noiva no Central Park e em uma das nossas bodas fazer um festa, mas isso é só lá pra frente.

Miami

Plínio resolveu não esperar a minha ajuda e tomou a iniciativa de mandar email para um hospital em Miami que tem um programa específico para médicos da América Latina. Acordamos no sábado com uma resposta! Essa foi a primeira resposta positiva que recebemos de todos as centenas de emails que enviamos procurando observership. Junto com ele vieram uma bateria de anexos incluindo a brochura do curso e um checklist com todos os documentos necessários para fazer a inscrição, além de outras coisas.

Confesso que Miami nunca encheu meus olhos. A comunidade latina é bem grande, o que, pelo que eu vejo os outros blogueiros / vlogueiros comentarem, tornam as coisas mais bagunçadas. Só de olhar os apartamentos no Craig’s List eu já percebi a diferença nítida de cultura. E não tem só a ver com o clima quente não, porque no Texas é bem quente também, mas os apartamentos eram bem mais americanizados. Os de Miami me lembram mais os imóveis aqui do Rio. Pelo menos as praias são lindas e o clima é quente, do jeito que eu gosto!

Esse observership é pago, mas, pelo que entendemos da brochura, é uma taxa mensal de administração de $500 dólares. O que não é barato, mas também não é esse valor por semana, como alguns dos oberverships que estávamos pesquisando.

Enfim, nada certo ainda, mais uma possível mudança de planos, mais uma possível adiada na nossa data de partida…

Read Full Post »

À princípio, eu e o Plínio pretendemos chegar nos Estados Unidos com um visto de estudante, o F1. No caso, ele faria um curso de inglês para se preparar para fazer o TOEFL (e melhorar o currículo) e eu iria de acompanhante com o visto F2. Agora que já decidimos que vamos para Houston, fica mais fácil procurar um curso. Na comunidade do Facebook Brasileiros em Houston, descobri duas colleges que têm curso de inglês; a Houston Community College e a Lone Star College. Ainda estou pesquisando para saber se essas são as melhores opções para o TOEFL.

Sobre o visto de estudante propriamente dito, encontrei um texto bem explicativo que vou reproduzir aqui embaixo. Clique aqui para o texto original.

Visto Americano – F1 – Estudante

Para solicitar o visto para estudar nos Estados Unidos você precisa possuir uma matrícula em alguma instituição de ensino nos EUA que seja autorizada pelo governo dos Estados Unidos a aceitar estudantes estrangeiros (nem todas são).

Você deve ter recursos econômicos suficientes para sua manutenção durante todo o processo acadêmico e também deve ter uma residência fixa durante a sua permanência no país.

Entrada e permanência

O solicitante de um visto de estudante pode entrar nos Estados Unidos até 30 dias antes da data da matrícula na instituição. A partir do momento que seu curso terminou, ou seja, no momento em que você não estiver estudando mais você pode permanecer no país por mais 60 dias.

Terminado esse período, você tem três opções:

   1 – Prolongar seu curso ou iniciar um novo curso na mesma instituição: se escolher esta opção basta solicitar com própria escola. Eles prontamente prolongam seu status como estudante.

   2 – Iniciar um novo curso em outra instituição: nesse caso, você deve conversar na nova instituição que providenciará um documento de transferência do seu status de estudante da escola antiga para a nova. Com posse deste documento, você vai no consulado e altera o nome da escola, prolongando seu status. Você pode fazer isso quantas vezes quiser, durante todo o período dentro da data de validade do seu visto.

   3 – Voltar para o Brasil!

Visto M

Se você pretende frequentar um curso que não seja de essencialmente de natureza acadêmica em uma instituição vocacional estabelecida ou outra instituição não-acadêmica reconhecida como uma escola vocacional ou profissionalizante pós-secundária você deverá solicitar um visto não-acadêmico M-1.

Trabalho

Em algumas circunstâncias, é possível obter permissão para exercer atividade remunerada utilizando o visto F-1. Os solicitantes do visto M-1 somente receberão autorização para exercer atividades profissionais remuneradas se, como exigência do curso, houver necessidade de formação prática, mas, para isso, deverá haver aprovação prévia pelo Serviço de Cidadania e Imigração dos Estados Unidos (USCIS).

Cônjuges e Filhos

Cônjuges e/ou Filhos com menos de 21 anos que pretendem acompanhar o solicitante do Visto F-1 ou M-1 durante sua permanência nos Estados Unidos deverão requerer o visto derivativo F-2 ou M-2. Os dependentes que não quiserem residir nos Estados Unidos com o titular do visto F-1 ou M-1 mas tenham a intenção de viajar de passar as férias nos EUA, deverão solicitar o visto de turismo B-2, ou  checar se qualificam-se para o Visa Waiver Program (Programa de Isenção de Visto).

Outras informações

Finalidade da viagem: Estudo

Tempo para a emissão (todo o processo): De 20 a 40 dias

Validade do visto: de acordo com o período do curso

Taxas obrigatórias: 

– MRV U$ 160,00

– SEVIS pode variar de U$ 100,00 á U$ 200,00

Valor dos honorários (NET VISTOS): R$200,00 por pessoa.

Documentação necessária: 

– Passaporte atual com validade mínima de 01 ano (para entrar no E.U.A o passaporte deverá estar com validade mínima de 06 meses).

– Passaporte anterior vencido (todos que possuir).

– Comprovante de agendamento de entrevista (Será enviada ao seu e-mail – Impressão deve ser colorida).

– Formulário I20 (fornecido pela instituição).

– Confirmação de preenchimento do formulário online DS-160. (Será enviada ao seu e-mail – Impressão deve ser colorida).

– Recibo original de pagamento da taxas (MRV e SEVIS) de solicitação de visto. Não serão aceitas cópias autenticadas.

Importante: Para dar inicio ao processo do visto americano F1 é necessário que o solicitante já esteja matriculado em uma escola americana e ter o formulário I20 em mãos que a própria escola irá fornecer e também a taxa SEVIS paga com comprovante em mãos, pois precisará apresentar esses documentos no dia da entrevista consular. Isso é inteira responsabilidade do solicitante do visto, pois só podemos dar entrada ao visto F1 com todos esses documentos disponíveis.

 

Read Full Post »

Exército-brasileiroMuitas pessoas não sabem, mas há alguns profissionais da área de saúde que podem ser convocados pelo exército à qualquer momento. Mesmo que já tenham sido dispensados. E adivinha o que aconteceu…

Sexta o Plínio recebeu uma carta com cara de importante. Era do Exército Brasileiro, convocando ele à se apresentar em junho! Quase caímos para trás!

No final da faculdade de medicina, alguns representantes do exército passam nas faculdades para darem uma palestra para os recém formados. Nessa palestra, eles convidam os médicos à se voluntariarem e falam sobre todas as coisas boas que o exército tem à oferecer. Mas eles deixam a parte de ser voluntário meio que discreto, assim os formandos são induzidos à acharem que é uma convocação.

Muitos médicos ignoram completamente, uma vez que já têm o certificado de dispensa. O Plínio entrou na justiça, porque não queria simplesmente ignorar. Quando ele recebeu a carta de convocação, estava escrito que o processo dele havia dado favorável ao exército. Ele nem sabia que havia saído a sentença! Então ele foi online e olhou o processo. Alguém do exército claramente não sabe interpretação de texto, pois a sentença era favorável à ele.

Nada disso importa muito, porque um amigo dele que se formou junto, também recebeu a convocação, mesmo sem ter entrado com processo. Enfim… Estamos tentando falar com o advogado desde sexta para vermos como podemos resolver essa situação. Não tem como servir exército agora, né? Só me faltava essa…

Read Full Post »

Houston, Texas

Houston, Texas

Desde meu último post, nenhuma boa notícia… A tal diretora se quer respondeu o nosso email. Depois de uma semana esperando, resolvemos partir para outras. Semana passada o Plínio começou a enviar emails para todos os hospitais e afins perguntando se havia alguma oportunidade de observership. Mandamos mais de 100 emails. Os que foram respondidos, todos tiveram resposta negativa. Educada, mas negativa…

Estamos percebendo que conseguir algo de graça será bem mais difícil do que antecipávamos. Não que estivéssemos achando que seria fácil, mas… Conversando estamos chegando à conclusão que de repente é melhor irmos com um visto de estudante mesmo, para fazer um curso de inglês talvez, ou de repente, pagar para fazer o observership e nesse meio tempo ir procurando outras oportunidades, como eu já havia comentado.

O raciocínio mais lógico então é: precisamos ir para um local onde há oportunidades para médicos em início de carreira. O segundo critério seria: uma cidade com aluguel barato. Não precisei pesquisar muito para chegar à conclusão que o casal do Discovering the Lone Star State chegou: Houston, Texas. Lá tem o maior centro médico do mundo. E para completar, dá para alugar um apartamento por basicamente 1/3 do que se paga no nordeste dos Estados Unidos. Win-win! De bônus tem o clima quente! Acho que essa é decisão tomada, mas não arrisco colocar nada em cimento.

Mas vamos falar de ECFMG. Na segunda feira agora, finalmente conseguimos fazer a inscrição para o Step 1! Está marcada para julho – setembro. Já havíamos tentado antes, mas o sistema deles não estava reconhecendo o login do Plínio. Foi preciso ligar pra lá. E lá se foram mais de mil dólares, que é o valor dessa primeira prova. Será feita aqui no Rio mesmo. Agora é correr atrás das traduções juramentadas e estudar mais!

Além de tudo isso… Estamos começando a discutir o nosso casamento, porque vamos precisar estar legalmente casados para eu poder “pegar carona” no visto do Plínio. Será apenas no cartório e iremos à um restaurante para almoçar com amigos e família. Mais pra frente planejo fotos nupciais no Central Park. Já imagino quão chique será… Sonhando… Infelizmente não rola fazer uma big festa de casamento agora. Mas quem sabe a gente faz um festa em alguma boda?

Ainda estou considerando fazer o vlog. Acho que pode ficar interessante… Mas como sempre, o processo para iniciar qualquer projeto pra mim inclui muito planejamento. Vamos ver se vai pra frente.

 

Read Full Post »

Older Posts »